segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Seminário Internacional ARCUS... Estivemos por lá!

O I Seminário Internacional ARCUS “Ambientes urbanos e urbanidades” tem como objetivo contribuir para a compreensăo da cidade contemporânea e das novas urbanidades, que nela emergem. Por urbanidade, entende-se o conjunto de relaçőes sociais decorrentes da construçăo técnica e espacial da cidade e de suas diferentes formas de apropriaçăo.

Este ocorreu nos dias 17, 18 e 19 de agosto de 2009, em João Pessoa-PB, numa parceria científica franco-brasileira, denominada Projet ARCUS Rhône-Alpes/Brésil. O Projet ARCUS é um programa de colaboraçăo entre diversas universidades brasileiras e francesas, cujo foco está no desenvolvimento de Escolas e de Ateliers Internacionais, que permitirăo o encontro entre doutorandos, pós-doutorandos e pesquisadores dos dois países, filiados ŕs instituiçőes co-participes do projeto.

Dividido entre palestras, discussões temáticas e mini-cursos o seminário foi bastante interessante e muito diversificado. As apresentações orais, divididades em 3 temáticas, se tornaram um espaço aberto de discussão e comentários sobre os diversos problemas urbanos, muitas vezes semelhantes em várias partes do Brasil. Interessante também ver que, apesar de semelhantes, tais problemas são muito particulares e a maneira e as ações tomadas pelos apresentadores foram muito enriquecedoras.

Participamos do Atelier 1, sendo a temática "Conflitos Urbanos Contemporâneos", e foi apresentado o trabalho entitulado "Requalificação dos predinhos de Santa Tereza como garantida da cidadania e da função social da propriedade". Desenvolido, desde 2002 em parceira com o EMAU e, infelizmente, encerrado em meados de 2005, as duas torres de 17 pavimentos, abandonadas pelas construtora e incoporadora, foram ocupadas, desde 1997, por moradores sem-teto de Belo Horizonte que vivem em condições bastante precárias e sofrem com o preconceito.


A apresentação, além de mostrar as etapas de todo o processo, a aprovação da carta consulta pelo Ministério das Cidades no Programa Crédito Solidário e o trabalho em autogestão desevolvido com as famílias, apresentou também uma crítica quanto ao modelo atual político e o porque do fracasso de empreitadas como essa. O tema foi muito bem aceito e bastante discutido e também serviu para acirrar o debate.

2 comentários:

Marco Antonio Borges Netto - Marcão disse...

No próximo eu vou também.

Danilo Botelho disse...

hehe, combinado Marcão, na próxima você também participa.